Sunday, July 31, 2005

O capitalismo como utopia

Nós marxistas temos uma grande preocupação em realçar as diferenças entre o capitalismo e o socialismo, noentanto escapa-nos a percepção que as semelhanças podem ser tão ou mais úteis para explicar às pessoas a verdadeira natureza do sistema em que são ensinadas a confiar.

Não, não estou a fazer uma equivalência moral entre o sistema capitalista e o socialista. Estou apenas a desmistificar o maior dos mitos que levam a negar o socalismo como alternativa possível e realizável. Aquele que diz que o socialismo é uma utopia e que o capitalismo é a ordem natural das coisas ou a essência do homem.

Um exemplo prático:

Como é que as pessoas conseguem acreditar que os EUA são um país democrático, poderoso e com uma economia saudavel quando este país tem a maior dívida externa do planeta (absolutamente impagável), mecanismos de saque do terceiro mundo que apesar de astronómico não soluciona os problemas financeiros internos e um aparelho militar desesperado por invadir e conquistar recursos estratégicos sem olhar a meios.

Se as pessoas tivessem conhecimentos básicos de economia e estivessem minimamente atentas à economia americana e à economia mundial globalizada percebiam que a única supperpotência incontestada suposta possante vencedora da guerra fria é um autêntico buraco negro da economia capitalista mundial e um império moribundo que não escapará em breve ao colapso.

O rei vai nu e não é preciso ser muito corajoso ou muito genial para afirma-lo. Basta ter a curiosiadade em saber porquê e estar atento.

Como podemos acreditar num teoria económica e num sistema económico que só funciona mediante o crescimento económico eterno? (até os marxistas cometem esse erro) A energia está a entrar na sua fase de declinío, os recursos naturais estão nos limites, o planeta está saturado de população e estruturas da economia industrial que puxam a civilização industrial para o colapso.

O planeta está infestado pela ideologia do fazer-dinheiro-como-se-não-houvesse-amanhã, essa ideologia é o capitalismo actual (ou liberalismo se quiserem). Mas mais do que isso é a própria civilização industrial.

Nós marxistas podemos continuar a tentar imaginar o que vai ser o socialismo de amanhã ou o socialismo deste século XXI se preferirem, mas eu pergunto que mundo será esse. Não será melhor perguntar que mundo restará para construir o socialismo do século XXI?

Algum marxista duvida que qualquer que seja a data do triunfo do socialismo no mundo, vamos herdar um planeta em ruínas?

Afinal o ridiculo está naqueles que querem ridicularizar os que insistem em querer dar um futuro à humanidade. Utopia é pensar que o capitalismo tem futuro.

4 Comments:

Blogger João Valente Aguiar said...

Olá Luís.

Parabéns pelo blog.

Quanto a este teu post. Acho que dás demasiada importância à questão energética e não atendes às relações de produção que são, de facto o suporte real do modo como toda e qualquer tecnologia se expressa. Acho que isso é influência das teorias catastrofistas que o Resistir às vezes tende a saudar (erradamente).

Mas de resto gostei do teu blog. Devias era deixar de te apegar tanto às tretas do colapso energético. Desligar a tecnologia (neste caso o petróleo) do substracto das relações sociais é, no mínimo, inconsequente. Até porque o capitalismo já viveu só do carvão e sobreviveu. O capitalismo não cairá por causa do fim do petróleo mas da sua tendência para a queda da taxa de lucro (crescimento superior do aporte de capital constante relativamente à massa de mais-valia extraída do trabalho humano).

O capitalismo está em colapso mas como dizia o Barbas, "o capital é o limite do próprio capital" e não o petróleo. Isto não invalida que a crise ecológica não seja uma realidade terrível. Mas a possibilidade de se construir uma sociedade comunista deriva das contradições imanentes ao modo de produção capitalista e não do petróleo.

Abraço,
JVA

9:06 AM  
Blogger Luis Rocha said...

Olá João

Sim é verdade o Barbas tem razão "o capital é o limite do próprio capital", eu interpreto isso como o instinto do capital devido à sua a essência, à sua natureza que o leva a cometer erros fundamentais.

O capital tem uma personalidade que o condena a ter desiquilibrios. E são vários:

- Crescimento populacional descontrolado para aumentar o consumo e baixar o custo da mão de obra.

- Tendência a permitir a formação de bolhas finaceiras especulativas (as últimas são a bolha da habitação e a bolha do crédito).

- Tendência a ignorar a poluição e o aquecimento global mesmo que isso se revele no futuro catastrófico.

- Desperdiçar recursos como a água irracionalmente como se não houvesse amanhã.

- Pensar apenas no curto prazo.

- Tratar do problema da crise energética do petróleo apenas pela guerra sem qualquer transição para outras fontes de energia.

- Tendência para a queda da taxa de lucro que na minha opinião se deve em grande parte à subida dos preços da energia.

- Incapacidade de submeter todo o mundo e regiões estratégicas em particular aos seus desígnios.

- O planeta tem limites a sede do capital não.

Quanto ao capitalismo sobreviver a carvão, isso tem muito que se lhe diga. São níveis de desenvolvimento completamente diferentes. Quando dizes isso estás a negar as propriedades excepcionais do petróleo. Se soubesses que para além dos transportes e a industria quimica tem uma importancia fundamental para a agricultura industrial... tem muito que se lhe diga...

11:03 AM  
Blogger caricoroa said...

Sim a o capitalismo (na sua forma actual) entrar em colapso nunca será directamente por causa do petróleo. Haverá sempre muitos factores em jogo. Não devemos entrar alinhar em teorias malucas que alguns apresentam mas certamente haverá uma grave crise económica que se vai desenrolar ao longo dos próximos anos e que pode reforçar o poder daqueles que já têm muito. Esta crise terá a sua origem no próprio funcionamento anormal do sistema que tem vindo a ocorrer mas certamente uma crise energética pode piorar. Não é altura para celebrações.

5:36 AM  
Blogger caricoroa said...

This comment has been removed by a blog administrator.

5:37 AM  

Post a Comment

<< Home

Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet
Site Ring from Bravenet